4 de jun de 2012

Uma ilustração inspirada e inspiradora…
      

(*) Gerar um filho é um momento mágico, mas receber a notícia que seu filhinho tão esperado tem um problema cardíaco é algo que tem um impacto inimaginável na vida de uma gestante. Algumas famílias podem querer desistir, e esperam apenas que “o pior” aconteça. 
Esse texto foi escrito para que as mamães que acabaram de ter essa notícia impactante, que seu bebê tem uma cardiopatia congênita, não desista da luta, mas renove as suas esperanças, mesmo que o prognóstico médico seja o pior possível! Sempre valerá a pena! 

“Mamãe,
Esses dias percebi que você tem chorado bastante, e isso me deixa triste também. Sei que você sofre por ter descoberto que meu coraçãozinho tem um dodói, e que os médicos estão falando pra você que isso é grave e complicado e que quando eu nascer vou precisar passar por uma, ou até algumas cirurgias. Não entendi direito o que isso quer dizer, só percebi que isso te assustou muito e também fiquei assustado, mas no fundo eu sei que tudo isso se resolverá.
Ouvi também quando você, chorando, disse para o papai que desejava que isso não passasse de um triste pesadelo, e que quando você acordasse, alguém iria lhe dizer que está tudo bem comigo e com meu coraçãozinho, mas eu sei que existe algo “diferente” comigo, pois ouvi o médico falar que meu coraçãozinho tem um dodói, apesar de eu não sentir nada. Aqui dentro da sua barriga eu tenho tudo o que eu preciso: amor, carinho, uma caminha quentinha e aconchegante; recebo de você o alimento e o oxigênio que preciso para ficar forte e crescer. Por isso não me sinto cansado nem com dor, e estou crescendo e engordando direitinho!
Eu ainda não entendo muito das coisas, mas entendo tudo o que Papai do Céu me diz, e Ele sempre sussurra algumas coisas meus ouvidos. Ele me disse que me fez assim com um coraçãozinho muito especial porque tem uma missão mais especial ainda para mim, para você e para o papai. Ele diz também que “estará comigo todos os dias da minha vida” e que “cuidará de mim”, nas horas difíceis e nas horas sombrias. Ele falou também que “ainda que eu passe pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque Ele estará comigo, e o seu cuidado me consolará”.
Mamãe, o amor que você e o papai sentem por mim me dão força, mas tanta força, que tenho certeza que o nosso amor será o suficiente para vencermos! Passaremos juntos, pelos piores momentos que possam vir, e sei que iremos vencer! Ainda vamos rir muito juntos, e vamos entender lá na frente, que o amor de Deus só permitiu que tudo isso acontecesse porque Ele mesmo tem preparado algo muito maior para a nossa família!
A única coisa que eu peço para vocês, mamãe e papai, é que me deixem tentar. Se eu não tentar, nunca saberemos se daria certo. A parte de vocês é apenas procurar me oferecer o melhor. O resto, deixa comigo e com Papai do Céu.
Tudo vai se encaixar… Tudo vai acontecer da melhor maneira possível… Mas preciso que vocês não desistam de mim, e não fiquem pensando se vou sofrer muito ou pouco, pois papai do Céu me disse que sofrerei apenas o necessário. Prometo que, se um dia ficar difícil demais, e se for pesado demais pra mim, seguro nas mãos do Papai do Céu e vou ser o anjinho mais lindo que habitará um lugar onde não há choro, nem dor, e onde Deus enxugará de meus olhos todas as minhas lágrimas… Mas antes disso, eu preciso tentar!
Mamãe, eu sei que você não quer que eu sofra, mas o sofrimento maior será descobrir que eu não tive a minha chance de provar o quanto eu sou forte, valente, guerreiro, um verdadeiro herói. 
Olhe os meus amiguinhos que também nasceram com meio coração, coração com buraquinhos, coração invertido, virado, com veinhas trocadas ou válvulas imperfuradas… Todos eles tiveram sua chance de lutar. Passaram também por momentos difíceis, ficaram dias, semanas ou meses em hospitais, mas hoje eles estão aí para provar que valeu a pena, e sempre valerá! Veja como eles correm, brincam de skate, bicicleta, patins, patinete, cantam, dançam, descem no escorregador, fazem natação, pulam, enfim… são muito, muito felizes! Todos eles tiveram a sua chance. Agora é a minha vez… Eu só preciso que vocês me deixem tentar!
Mamãe, Papai, Vovó, Vovô, EU AMO VOCÊS! Ainda vamos ter muitas histórias pra contar!
Falta pouco… eu já estou chegando! Até breve!
Seu bebezinho de coração especial”
(*)Textos de Marcia Adriana Saia Rebordões, mãe do Thiago, que nasceu com “meio coração” (SHCE), também teve a sua chance de lutar e viveu 3 anos, 5 meses e 24 dias. A sua história inspira hoje muitas outras famílias que são assistidas pela AACC Pequenos Coraçoes.]

Publicado em 02/05/2012 por amigosdocoracao

26 de fev de 2012

2 ANOS DE VIDA



Hoje é um dia de festa para a AACC Pequenos Corações, para todas as crianças e seus pais, integrantes dessa verdadeira família!! É nosso aniversário de 02 anos.

As gestações podem ser planejadas ou não, mas sempre que anunciadas geram expectativas, mudanças internas e externas, até que chega o parto, o registro de mais uma vida, e a seqüencia dela... Com a AACC Pequenos Corações não foi diferente.

Se nos fosse perguntado: “ – Quando e porque vocês desejaram o nascimento dessa pessoa (jurídica)?” não teríamos uma resposta. Para nós fica claro que foi uma gestação inesperada, porém, não menos desejada, gerada em 4 anos de atividade informal. Ter essa filha foi assunto por vezes ventilado, contudo, diante de tantas emoções vividas, surgia até um ligeiro temor pela novidade e conseqüente responsabilidade. Sem que nos déssemos conta a fecundação já havia ocorrido em nossos corações. Nosso bebê começava a tomar forma, tornar-se robusta... Já sem buscar os “porquês” e os “talvez”, como toda mãe que é pega de surpresa, as mães começaram a fortalecer os laços com a “cria”.

Sim..., mas um ser vai nascer! e mãe se preocupa com tudo – ainda mais essa criança que tem vàrias mães!

‘ – Temos que correr com os preparativos: ‘onde ela vai ficar? O enxoval? Quem vai providenciar a documentação dela? E a manutenção dessa criança até a fase adulta?

Um a um os itens foram sendo solucionados, e suprimento chegou a contento para todas as necessidades iniciais.

E, como em toda gestação, ao chegar a sua hora de vir ao mundo, a cria não pede licença, rompe entranhas, se contorce inteira, se esforça, estoura a bolsa e busca a amplitude que vai além do ventre e ganha o mundo, a nossa menina – AACC Pequenos Corações, já tinha corpo formado, raízes profundas, e, vivendo emoções tão densas já era impossível contê-la dentro... saltou do íntimo dos nossos corações:
– N-A-S-C-E-U! Oh, sim, nasceu...!
Como em todo parto, veio ao mundo num misto de choro e alegria... Eram exatos 24/fev/2010, dia em ganhou seu documento de ‘cidadã’ – Estatuto devidamente registrado.

Nesses 02 (dois)anos nossa menina cresceu. Apesar de tão novinha, avança a passos largos. Aprendeu a andar, e o faz por vários lugares do país (nossos Núcleos). Em cada lugar tem um (a) cuidador (a) zeloso (a) (nossas mães voluntárias, coordenadoras e colaboradoras). Cada um desses cuidadores acaba contribuindo um pouco mais para sua formação e crescimento.

As dificuldades financeiras existem e até limitam os investimentos na vida da nossa cria - AACC-Pequenos Corações. Mas hoje é dia de enumerar nossas conquistas:

Hospedagem para crianças e mães

Fizemos a diferença na vida de centenas de crianças – Saber que uma vida foi salva ou que uma criança teve a sua chance... paga todo sacrifício, dá sentido a todo o tempo dedicado, muitas vezes “tirado” de nossas próprias famílias.

Instituição do Dia da Conscientização da Cardiopatia Congênita

A adoção do laço-símbolo da Cardiopatia

O Teste do Coraçãozinho – ferramenta de rastreio para detecção antes da alta da maternidade.

Divulgação - temos conseguido atrair o olhar da mídia em geral para o problema da Cardiopatia Congênita. Coisa que há pouco tempo atrás, antes da atuação incansável da Pequenos Corações, não existia. A Cardiopatia Congênita era um tema completamente desconhecido e até mesmo ignorado por grande parte da sociedade.

Campanhas sobre o diagnóstico precoce através da adoção de ecocardiograma fetal e cursos para ultrassonografistas.

Calendários temáticos – 1º) apresentação – ainda na fase da gestação; 2º) “Beleza da marca” – visando a desmitificação da própria cicatriz; 3º) “Somos 1 em 100” – lembrando que não somos tão raros como se pensava.

Várias foram as conquistas, mas sabemos que ainda temos muito a fazer... Afinal de contas 13 mil crianças por ano não recebem tratamento e esses números nos deixam desconcertadas. Assim como assustam e podem tentar desestabilizar, também “carregam” as nossas energias e a nossa vontade de se melhorar e fazer sempre mais.

Hoje, porem, é também um dia de muita saudade... Nosso “anjo inspirador”, o Thiago, estaria fazendo 6 anos. É muito difícil pensar que ele não está mais aqui conosco fisicamente, mas não estamos tristes. Sabemos que ele está feliz com tudo de inspirou e de alguma maneira incentivou. A vida dele, com todas as suas dificuldades, nos levou nessa direção de forma muito espontânea. A sua partida, literalmente, fez nascer a AACC Pequenos Corações, como se a sua energia, a sua força vital, tivesse migrado para esse grupo de mães de filhos tão especiais e abençoados – também motivadores dessa grande causa – leia-se Guilherme, Luca, Huguinho, Ana Luísa, Cadu, Larissa e tantos outros -.

Para uma mãe (pai também) não é fácil ter a notícia de que nosso filho tem um problema grave, ainda mais no coração. Porém, vemos diariamente, familiares que, como nós tem forças para enfrentar seus próprios medos e dificuldades, mesmo em meio a acontecimentos felizes e, em muitas vezes, outros extremamente sofridos essa verdadeira família nasceu e está se multiplicando; transformando tudo isso em muito amor ao próximo.

Nessa data tão especial, como mães orgulhosas no discurso antes de apagar a velinha, queremos agradecer imensamente:

A todos que acreditaram em nós e nos nossos projetos, que no início podiam até parecer utópicos, sonhos distantes, mas que estão a cada dia se concretizando.

Obrigada aos médicos e profissionais da saúde que nos incentivam e nos apoiam.
As autoridades que nos escutam e abraçam a nossa causa.
Aos parceiros que nos ajudam a realizar nossos projetos.
As famílias que confiaram nos nossos conselhos.
Aos voluntários que sentiram também essa vontade em seus corações e se uniram a nós.
Às nossas famílias que nos apóiam e “permitem” que nosso tempo seja dedicado a outras famílias.
Aos nossos filhos “1 em 100” por terem permitido que pudéssemos crescer e nos tornar pessoas melhores através do sofrimento deles.
Aos outros filhos que nos apóiam e compreendem essa nossa necessidade.

Obrigada, acima de tudo, a Deus por todo bem que nos proporciona todos os dias, permitindo que consigamos ver o bem em meio a dor e por nos dar forças para continuar, apesar das circunstâncias.

“Parabéns para você, AACC
Nesta data querida
Muitas felicidades
Muitos anos de vida”

Como diz a canção, felicitamos toda a família AACC, pelo aniversário de 2 anos! Desejamos muitas felicidades a todos, e vida longa a nossa filhota – AACC Pequenos Corações.

Marcia Adriana, Patrícia Drummond, Larissa Mendes e Fabíola Bilro

Retirado de : http://www.pequenoscoracoes.com/index.php?option=com_content&view=article&id=223&catid=45